Buscar

Quem foi Gustav Klimt?



Gustav Klimt, (nascido a 14 de Julho de 1862, Viena, Áustria - morreu a 6 de Fevereiro de 1918, Viena), pintor austríaco, fundador da escola de pintura conhecida como a Sezessão de Viena.


Depois de estudar na Escola de Artes Decorativas de Viena, Klimt abriu em 1883 um estúdio independente especializado na execução de pinturas murais. Seu trabalho inicial tinha um estilo clássico que era típico da pintura acadêmica do final do século 19, como pode ser visto em seus murais para o Burgtheater de Viena (1888) e na escadaria do Museu Kunsthistorisches.


Em 1897, o estilo maduro de Klimt surgiu, e ele fundou a Sezessão de Viena, um grupo de pintores que se revoltou contra a arte acadêmica em favor de um estilo altamente decorativo semelhante ao Art Nouveau.


Pouco depois, pintou três murais alegóricos para o teto do auditório da Universidade de Viena que foram violentamente criticados; o simbolismo erótico e o pessimismo destas obras criaram um escândalo tal que os murais foram rejeitados.


Seus murais posteriores, o Frieze de Beethoven (1902) e os murais (1909-11) na sala de jantar da Stoclet House em Bruxelas, são caracterizados pelo desenho precisamente linear e pelo uso ousado e arbitrário de padrões decorativos planos de cor e folha de ouro.


As obras mais bem sucedidas de Klimt incluem O Beijo (1908-09) e uma série de retratos de matronas vienenses da moda, como Fritza Riedler (1906) e Adele Bloch-Bauer I (1907). Nestas obras, ele trata a figura humana sem sombra e aumenta a sensualidade exuberante da pele, rodeando-a de áreas de decoração plana, altamente ornamental, brilhantemente composta.


Durante a Segunda Guerra Mundial, Adele Bloch-Bauer I e várias outras pinturas Klimt pertencentes à família Bloch-Bauer foram confiscadas pelos nazistas e, eventualmente, adicionadas à coleção da Galeria Österreichische em Viena. Estes trabalhos mais tarde tornaram-se o foco de uma longa batalha legal, e em 2006 foram finalmente devolvidos à família. Mais tarde, nesse ano, Adele Bloch-Bauer I foi vendido para o Neue Galerie, em Nova York, por um preço recorde de US $ 135 milhões.


O Beijo


De acordo com a Wikipedia, O beijo (original em alemão: Der Kuss) é um quadro - talvez mais famoso - desse pintor. Executada em óleo sobre tela, medindo 180x180 centímetros, entre 1907 e 1908, é uma das obras mais conhecidas do Klimt, graças a um elevado número de reproduções


A obra pertence ao período designado de fase dourada da criação do autor e é representada por sinais característicos biológicos e psicológicos do sexo - as formas estão definidas por ornamentos retangulares (masculina) e arredondados (feminina).


A ornamentação (auréola) que envolve o casal é definida pelo contorno masculino com as suas costas, qualificado como "tipo torre" ou "campanulado", simbolizando a masculinidade no pescoço forte do homem que impõe o movimento. É ele que, no abraço, segura a cabeça da mulher e vira-a a fim de beijá-la. A mulher, ao contrário, é representada de forma passiva - ajoelhada em frente ao homem - num gesto claro de subordinação.


A composição do quadro é antagônica e sugere mais de uma possibilidade de interpretação: por um lado evoca a felicidade da união erótica, por outro, questiona a identidade das duas pessoas e dos dois sexos. Para Gert Mattenklott (1942-2009), esse traço é recorrente nos desenhos de Klimt - "... mulheres em trajes longos, estreitos como cintas elásticas..", escondem a "diferença feminina do corpo para simular o que lhes falta. Tornam-se símbolo daquilo que não têm: ...um fetiche na câmara dos apetrechos dos prazeres.".[3]

O quadro está exposto em Viena, na Galeria Belvedere da Áustria.





Essas lindas peças homenageando Klimt estão à venda em nosso site. Não perca:


6 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo